Após morar em praça com cãozinho, idosa recebe ajuda anônima e consegue um lar!

 A senhora já tinha deixado pago o aluguel do imóvel com antecedência, mas o proprietário acusou-a de "desperdiçar água demais" e a expulsou de casa, deixando-a desabrigada.

O que causa transtorno é o fato da residência prejudicar os centros urbanos especialmente porque abrange questões como direitos humanos, desemprego, segurança, alimentação e até valor imobiliário.

Em um contexto complexo, a ausência de domicilio é consequência pandêmica, mas devido a inexistência de políticas públicas eficazes, essa situação vem se agravando há muitos anos. Irma Vásquez e seu cachorro Lucky foram visto utilizando uma praça como moradia em El Salvador simplesmente porque não tinham para onde ir.

Essa situação chamou a atenção da equipe do El Diario de Hoy, que em março deste ano decidiu publicar sua história, exibindo a realidade que afeta a vida de milhões de pessoas em todo o mundo: eles não têm onde morar. Ela disse que foi expulsa do quarto que havia alugado e pago antecipadamente sem qualquer motivo razoável.

O proprietário pediu-lhe que saísse imediatamente da propriedade porque “usava muita água da torneira”. Irma teve que escolher um dos três cães que criou, pegar duas peças de roupas e uma quantia de dinheiro para chegar à capital São Salvador.

Ao chegar à cidade grande, ficou sem dinheiro e resolveu morar na Praça Gerardo Barrios até encontrar um lugar seguro para residir. Algumas pessoas que perceberam a cena ofereceram à senhora e seu cãozinho abrigo por uns dias. Logo após sua história ser publicada no jornal local, um salvadorenho residente nos Estados Unidos entrou em contato para lhe fazer uma proposta generosa.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.

O homem, que preferiu não se identificar, concedeu sua casa que estava desocupada para Irma, para que ela pudesse residir pelo tempo que precisar. Ela poderia mudar-se naquele dia e levar consigo seu cachorro Lucky.

A população reagiu positivamente e ela recebeu alimentos, rações, suprimentos e produtos de higiene pessoal. Ronald Lara, um dos benfeitores, ajudou Irma a levantar fundos para acabar com essa situação o mais rápido possível.

Todas as doações foram recebidas por ela, e a mesma foi conduzida pela cunhada do jovem que lhe concedeu a casa, pra conhecer sua nova moradia onde havia água, luz, camas e até uma sala de jantar. A condição para que ela permaneça no local é que não abandone seu cãozinho.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.

A senhora agradeceu por toda a ajuda que recebeu e disse que já se sentia melhor. Ela pretende comprar aos poucos as próprias coisas, pois ela deixou tudo para trás, porque foi imediatamente expulsa. Os outros dois animais que moram na velha casa já têm candidatos para adoção, mas ela disse que se alguém a levar para buscá-los, ela ficará muito feliz.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.
Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.

Na cidade onde morava, Irma desenvolvia atividades comerciais informais e espera reiniciar seu negócio na capital em breve. Mesmo possuindo uma moradia, ela ainda necessita de ajuda para comprar alimentos e eletrodomésticos, a boa notícia é que muitas pessoas disseram que irão ajudá-la.

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Graças a Deus 🙌 que existem anjos bons 🙌 parabéns pelo gesto de Amor de ajuda essa pobre senhora 🙌 que Deus abençoe sempre VC 🙌

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus abençoe grandemente as pessoas que ajudaram.🙏🙏

      Excluir
  2. Que Deus, possa abençoar grandemente essa. Pessoa, por mas pessoas com coração humano nesse neste mundo Deus por mundo melhor Jesus❤��

    ResponderExcluir